quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Disney lançará versão com atores de 'Mulan' em novembro de 2018


Estúdio faz pesquisa global para achar atriz chinesa que viverá heroína.
Roteiristas de 'Jurassic world' foram convocados para reescrever história.

Do G1, em São Paulo
'Mulan', animação da Disney de 1998 (Foto: Divulgação)'Mulan', animação da Disney de 1998 (Foto: Divulgação)













A Disney confirmou nesta terça-feira (4) que está produzindo uma versão com atores reais da famosa animação "Mulan". O filme tem estreia prevista para 2 de novembro de 2018.
O estúdio lançou uma pesquisa global de elenco para encontrar a atriz chinesa responspavel por dar vida à heroína, uma corajosa jovem que se disfarça de homem para ocupar o lugar de seu pai no exército chinês.
Rick Jaffa e Amanda Silver, que trabalharam juntos em "Jurassic world" (2015), foram convocados para reescrever o roteiro. A dupla também está envolvida com a sequência do sucesso "Avatar".
Lançada em 1998, a versão original de "Mulan" foi dirigida por Tony Bancroft e Barry Cook e arrecadou mais de US$ 300 milhões em bilheteria no mundo todo. A história é baseada numa personagem lendária chinesa, descrita em um poema do século 7.
Segundo a revista "The Hollywood Reporter", a Disney espera que adaptaçao seja mais sutil e elaborada, e que combine as tradições chinesas e elementos da animação original.
Atualmente, o estúdio se prepara para lançar a versão com atores de "A bela e a fera", que estreia em 17 de março de 2017 e é estrelada por Emma Watson ("Harry Potter").

Postado por Carlos PAIM

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Novo vilão aparece assustador no 1° trailer de "Piratas do Caribe 5"; veja


A Disney aterrorizou nesta madrugada com o primeiro trailer legendado de "Piratas do Caribe 5: A Vingança de Salazar" – Tudo graças ao assustador Capitão Salazar, vilão do filme, interpretado pelo ator Javier Bardem.
A nova aventura foca em um grupo de piratas fantasmas assassinos liderados por Salazar, que escapa do Devil's Triangle determinado a matar todos os piratas no mar, inclusive, claro, o irreverente Jack Sparrow (Johnny Depp).
O primeiro trecho divulgado da nova aventura não traz cenas do amado personagem da série, e foca na aparição do novo vilão. Ele pede a Henry (Brenton Thwaites) que mande um recado para Sparrow: "Diga a ele que a morte irá busca-lo".

A única esperança de sobrevivência do Capitão Jack está em encontrar o lendário Tridente de Poseidon, um artefato poderoso que concede a quem o possui o poder total de controlar o mar.

O vídeo foi oficialmente lançado durante a exibição do último episódio da segunda temporada de "Fear the Walking Dead".

No Brasil, o público vibrou com as primeiras cenas, mas reclamou do título do filme. No original, "Piratas do Caribe 5" ganhou o subtítulo "Homens Mortos Não Contam Histórias". No Brasil, o estúdio preferiu o auto-explicativo "A Vingança de Salazar".

"Piratas do Caribe 5" chegará aos cinemas brasileiros em 25 de maio de 2017. Completam o elenco Orlando Bloom, Geoffrey Rush e novata Kaya Scodelario, que ao lado de Brenton Twaites, representam o esforço do estúdio em apresentar novos rostos para a série.


quinta-feira, 12 de maio de 2016

BOM DIA MS
http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/bom-dia-ms/videos/

Postado por: Ygor I. Mendes

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Terremoto 
https://www.youtube.com/watch?v=-_-yotIdY6U

Postado por: Ygor I. Mendes

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Terremoto em Equador.

https://www.youtube.com/watch?v=fCV_JkVw0Cs

Postado por: Ygor I. Mendes

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Oscar 2016 acontece neste domingo; veja lista completa de indicações

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anuncia na noite deste domingo (28) os vencedores do Oscar 2016.
A festa acontece no Dolby Theater, em Los Angeles, nos EUA. A cerimônia será apresentada pelo comediante Chris Rock, com início às 22h30. O Oscar 2016 será transmitido pela TV Globo, depois do Big Brother Brasil.
"O regresso" e "A grande aposta" são os mais bem cotados para o prêmio principal, de melhor filme. Os sinais são divididos: enquanto "A grande aposta", filme sobre a crise financeira americana de 2008, foi o escolhido do sindicato dos produtores - que não "erra" desde 2006 -, "O regresso" levou o Globo de Ouro e o Bafta.
"O regresso" também lidera o número de indicações, com 12, incluindo ator para Leonardo DiCaprio, em sua quinta indicação ao Oscar, e melhor diretor para Alejandro G. Iñárritu, que venceu no ano passado por "Birdman". "Mad Max: Estrada da fúria" aparece como segundo favorito, concorrendo em 10 categorias, incluindo melhor filme e melhor diretor. "Perdido em Marte" conquistou 7 indicações, mas o diretor Ridley Scott ficou de fora.
Brasil no Oscar
Uma das surpresas foi a indicação do brasileiro "O menino e o mundo", de Alê Abreu, na categoria de animação. Essa é a primeira vez que o país disputa nesta categoria. Ele disputa com "Divertida mente", "Anomalisa", "Shaun, o carneiro" e "Quando estou com Marnie".
A animação brasileira narra as aventuras de um menino que vive em uma cidade isolada e que, um dia, se lança em uma missão para encontrar seu pai. O filme aborda os problemas que afetam a Terra hoje, como a globalização, a crise econômica e a perda de valores.
Apresentadores e shows
Entre os artistas que vão apresentar prêmios estão Benicio Del Toro, Tina Fey, Whoopi Goldberg, Ryan Gosling, Kevin Hart, Charlize Theron, Jacob Tremblay, entre outros.
O Oscar vai ter shows de Lady Gaga, Sam Smith, The Weeknd e Pharrell Williams. Lady Gaga concorre ao prêmio de melhor canção original por "Til it happens to you", do documentário "The hunting ground". Sam Smith disputa por "Writing's on the wall", do filme "007 contra Spectre", e The Weeknd por "Earned it", de "Cinquenta tons de cinza".
Veja a lista de indicados ao Oscar 2016:
Melhor filme
"A grande aposta"
"Ponte dos espiões"
"Brooklyn"
"Mad Max: Estrada da fúria"
"Perdido em Marte"
"O regresso"
"O quarto de Jack"
"Spotlight: Segredos revelados"
Melhor ator
Bryan Cranston ("Trumbo")
Matt Damon ("Perdido em Marte")
Leonardo DiCaprio ("O regresso")
Michael Fassbender ("Steve Jobs")
Eddie Redmayne ("A garota dinamarquesa")
Melhor atriz
Cate Blanchett ("Carol")
Brie Larson ("O quarto de Jack")
Jennifer Lawrence (“Joy”)
Charlotte Rampling (“45 anos”)
Saoirse Ronan ("Brooklyn")
Melhor diretor
Alejandro G. Iñárritu ("O regresso")
Tom McCarthy ("Spotlight: Segredos revelados")
George Miller ("Mad Max: Estrada da fúria")
Adam McKay ("A grande aposta")
Lenny Abrahamson ("O quarto de Jack")
Melhor animação
"Anomalisa"
"O menino e o mundo"
"Divertida mente"
"Shaun, o carneiro"
"As memórias de Marnie"
Melhor filme estrangeiro
"Embrace of the Serpent" (Colômbia)
"Cinco graças" (França)
"O filho de Saul" (Hungria)
"Theeb" (Jordânia)
"A war" (Dinamarca)
Melhor trilha sonora
"Ponte dos espiões"
"Carol"
"Os 8 odiados"
"Sicario"
"Star Wars: O despertar da força"
Melhor roteiro adaptado
"A grande aposta"
"Brooklyn"
"Carol"
"Perdido em Marte"
"O quarto de Jack"
Melhor roteiro original
"Ponte dos espiões"
"Ex Machina"
"Divertida mente"
"Spotlight: Segredos revelados"
"Straight Outta Compton"
Melhor design de produção
"Ponte dos espiões"
"A garota dinamarquesa"
"Mad Max: Estrada da fúria"
"Perdido em Marte"
"O regresso"
Melhor fotografia
"Carol"
"Os oito odiados"
"Mad Max: Estrada da fúria"
"O regresso"
"Sicario"
Melhor figurino
"Carol"
"Cinderela"
"A garota dinamarquesa"
"Mad Max: Estrada da fúria"
"O regresso"
Melhores efeitos visuais
"Ex Machina"
"Mad Max: Estrada da fúria"
"Perdido em Marte"
"O regresso"
"Star Wars: O despertar da força"
Melhor montagem
"A grande aposta"
"Mad Max: Estrada da fúria"
"O regresso"
"Spotlight: Segredos revelados"
"Star Wars: O despertar da força"
Melhor atriz coadjuvante
Jennifer Jason Leigh ("Os 8 odiados")
Rooney Mara ("Carol")
Rachel McAdams ("Spotlight: Segredos revelados")
Alicia Vikander ("A garota dinamarquesa")
Kate Winslet ("Steve Jobs")
Melhor ator coadjuvante
Christian Bale ("A grande aposta")
Tom Hardy ("O regresso")
Mark Ruffalo ("Spotlight: Segredos revelados")
Mark Rylance ("Ponte dos espiões")
Sylvester Stallone ("Creed")
Melhor canção original
"Earned it", The Weeknd ("Cinquenta tons de cinza")
"Manta Ray", J. Ralph & Antony ("Racing extinction")
"Simple song #3", Sumi Jo e Viktoria Mullova ("Youth")
"Writing's on the wall", Sam Smith ("007 contra Spectre")
"Til it happens to you", Lady Gaga ("The hunting ground")
Melhor edição de som
"Mad Max: Estrada da fúria"
"Perdido em Marte"
"O regresso"
"Sicario"
"Star Wars: O despertar da força"
Melhor mixagem de som
"Ponte dos espiões"
"Mad Max: Estrada da fúria"
"Perdido em Marte"
"O regresso"
"Star Wars: O despertar da força"
Melhor curta de animação
"Bear Story"
"Prologue"
"Sanjay's Super Team"
"We can't live without Cosmos"
"World of tomorrow"
Melhor curta de live action
"Ave Maria"
"Day one"
"Everything will be okay (Alles Wird Gut)"
"Shok"
"Stutterer"
Melhor cabelo e maquiagem
"Mad Max"
"The 100-year-old man who climbed out the window and disappeared"
"O regresso"
Melhor documentário
"Amy"
"Cartel Land"
"The look of silence"
"What happened, Miss Simone?"
"Winter on fire: Ukraine's Fight for Freedom"
Melhor documentário de curta-metragem
"Body team 12"
"Chau, beyond the lines"
"Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah"
"A Girl in the River: The Price of forgiveness"
"Last day of freedom"


terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Hollywood: 100 anos de nudez no cinema

Nua, sentada em um tronco de árvore, braços lançados para cima. Os cabelos longos cobrindo os seios.
A pose pode não parecer ousada para os dias de hoje, mas em 1916 a cena fez parte de um importante evento na história do cinema. Annette Kellerman é considerada a primeira estrela - masculina ou feminina - a aparecer nua em uma grande produção de Hollywood.
O drama A Daughter of the Gods (Uma Filha dos Deuses em tradução livre) teve a atriz no papel de Alícia, uma mulher que se apaixona por um príncipe e pede ajuda dos habitantes da Terra dos Gnomos. O elenco do filme mudo incluiu um sultão, uma Bruxa do Mal, uma Fada do Bem, e diversos eunucos. Acredita-se que não existam mais cópias da produção, mas os arquivos dos jornais mostram que houve grande interesse.
Um anúncio promovendo o filme para donos de cinema dizia: "A produção teve lucro por onde quer que passou. Reserve a sua (cópia) agora".

Natação


Quando A Daugther of the Gods estreou na Austrália, o país natal de Kellerman, uma revista local exaltou o filme ao dizer que aqueles que não o viram "tinham perdido um dos maiores eventos na história" australiana.
Mas se foi inédito para a Hollywood, o filme foi apenas um de uma série de eventos notáveis na vida de Kellerman. Campeã de natação, pioneira do teatro vaudeville, estilista de trajes de banho, dublê e mesmo guru de saúde e boa forma.
"Ela simbolizava o corpo feminino em forma, ativo e espetacular. Ela conclamou outras mulheres a jogar fora seus corpetes e investir numa vida saudável", diz Angela Woolacott, historiadora da Universidade Nacional da Austrália. "Algumas pessoas a viram como um ícone da feminilidade moderna".
Nascida em Sydney, em 6 de julho de 1887, de pais músicos, Kellerman sofreu raquitismo na infância e fez natação para cuidar da fraqueza nas pernas. Aos 13 anos, já estava curada. No início do novo século, a australiana se tornou a detentora de todos os recordes mundiais femininos.
Kellerman estava a par do interesse despertado por seus êxitos, então organizou exibição em que nadava com peixes em um aquário e mesmo praticava saltos ornamentais dentro de um teatro.
Em 1905, Kellerman se mudou para o Reino Unido e nadou 27 km no Rio Tâmisa. No mesmo ano, ela tentou, sem sucesso, tornar-se a primeira mulher a cruzar a nado o Canal da Mancha. Percorria teatros britânicos e americanos fazendo exibições aquáticas, combinando balé aquático com saltos de trampolim. Em Chicago, por exemplo, ela saltou do alto de um mastro de um navio, a 21 m de altura. Em 1914, a australiana já ganhava US$ 2500 por semana - o equivalente a mais de US$ 60 mil nos dias de hoje.
Suas inovações também chegaram ao mundo da moda. Em 1905, quando ia se apresentar à família real britânica, em Londres, Kellerman foi avisada pelo organizadores que não poderia usar o traje curto que costumava. A solução foi costurar meias-calças ao maiô, criando um traje mais longo que abriu caminho para o mercado feminino das roupas de banho - dois anos mais tarde, ela criou até sua linha de maiôs, em um estilo que ganhou seu sobrenome.
Foi também em 1914 que Kellerman começou a participar de filmes. No primeiro,Neptune's Daughter, ela usou um macacão cor de pele para as cenas aquáticas. A Daughter of the Gods veio em seguida e, na época, teve um dos orçamentos mais caros da história - US$ 850 mil. Segundo a revista especializada Variety, o filme arrecadou quase US$ 1,4 milhão.
Em algumas cenas, a atriz usou um maiô, mas não em outras. Mas o filme teve uma recepção crítica favorável, apesar de algumas cidades americanas e australianas terem tentado barrar sua exibição.
Sua fama fez com que buscasse voos mais altos: em 1920, ela até desenvolveu uma rotina transformista, algo bastante ousado para a época, interpretando o papel de um gentleman chamado English Johnny. O último filme de Kellerman foiVenus of the South Seas, filmado na Nova Zelândia e lançado em 1924. Foi um dos primeiros a ser filmado em cores.
Nessa época, Kellerman já explorava o lado personal trainer, fazendo palestras sobre saúde e boa forma, oferecendo aulas de ginástica por correspondência e mesmo abrindo uma loja de produtos naturais na Califórnia. Mas ela ainda é mais lembrada por ter tirado a roupa na frente das câmeras.
"Ela nunca se definiu como uma feminista, mas de muitas maneiras era uma. A feminilidade no Ocidente no início do século 20 era algo complexo e que estava mudando", diz a historiadora Woollacott.
Em 1952, a nadadora, atriz e empresária foi tema de um filme, Million Dollar Mermaid (A Sereia de Um Milhão de Dólares, em tradução livre), estrelando outra atriz vinda das piscinas, Esther Williams. Kellerman achou o filme biográfico meio "água com açúcar". Ela, que era capaz de dar chutes altos mesmo em idade avançada, morreu em 1975, aos 88 anos. Não sem antes dizer que A Daughter of the Gods fora a melhor coisa que já tinha feito.